Os principais desafios do varejo digital

Avaliação:

(0 Avaliações)

Por Redação SM -

Saber lidar com esse público está entre os principais desafios desse canal

O perfil do consumidor do e-commerce está em plena transformação. Entre as exigências do consumidor que compra pela internet estão: logística ágil, oferta e preço competitivo, praticidade na navegação, satisfação na experiência de compra, agilidade de forma geral, confiabilidade e segurança. É o que mostra estudo Núcleo de Estudos e Tendências da Atento, empresa de serviços de gestão de clientes e terceirização de processos de negócios (CRM/BPO),  realizou uma pesquisa durante o meses de janeiro e fevereiro de 2018 com 65 importantes empresas varejistas de todo o Brasil.

Os desafios 
Vale destacar que esse é um mercado em ascensão. Em 2017, atingiu R$ 47,7 bilhões, com expectativa de crescimento da ordem de 12% em 2018, segundo dados do Ebit. O estudo também revela que o setor de e-commerce enfrenta vários desafios: 42% dos respondentes têm a necessidade de melhorar a taxa de conversão, além de entender os motivos que levam clientes a abandonarem as compras no meio da transação. 

Aprender a lidar com os diferentes perfis de consumidores - tradicionais e digitais – foi mencionado como a preocupação de 36%. Questões que no passado poderiam ser consideradas entraves, como a tecnologia e o investimento em mobiles, ocupam somente o quinto e sexto lugares do ranking, respectivamente, indicados por 24% e 21% dos entrevistados. Tais fatores perdem apenas para o quesito ‘logística’, que aparece no topo da lista como o maior desafio do segmento no país, sendo citado por 69% da amostra.
 
Estes resultados podem ser confirmados por outras pesquisas de mercado, como da consultoria eMarket, que aponta que 57% dos visitantes de uma loja virtual abandonam o carrinho por estarem apenas pesquisando o preço final e 51% das pessoas desistem da compra por não encontrarem a opção de frete grátis.

O que as empresas estão fazendo  
Entretanto, o estudo revelou que 49% das empresas atuam para melhorar o carrinho abandonado. Destas, 57% acompanham os pontos de desistência; 53% fazem campanhas de e-mails personalizados e 50% simplificam o processo de check out das compras. Outro dado relevante constatado é que 58% das companhias estão investindo em melhorias na experiência do usuário e 46% estão focando em marketplaces com o objetivo de atraírem novos consumidores.  Entre as demais estratégias estão: realização de descontos e promoções personalizados (34%), melhorar a disponibilidade de produtos (31%) e mudanças nas formas de pagamento (22%).
 
A fidelização 
Quando questionados sobre a fidelização de clientes, pouco mais da metade (51%) destaca a necessidade de sistemas específicos de retenção e 48% afirmaram que o pós-venda ainda é um importante desafio. Outros 16% destacaram a mudança no perfil do consumidor.
A pesquisa confirma que 59% das companhias do setor de varejo estão realizando investimentos em novas soluções para o e-commerce. A maior parte das apostas está em sistemas de SEO (Search Engine Optimization) e em mídias sociais, ambos indicados por 71% dos entrevistados. Tecnologias de Analytics estão no centro dos investimentos de 63%, seguidas por plataformas responsivas (47%) e softwares de CRM - Customer Relationship Management (37%). Com os aportes em novas tecnologias, 34% dos entrevistados esperam atingir um crescimento em receita entre 20% e 30%. E, avaliando o todo da amostra, 79% estimam ter um retorno em até dois anos e 21% dentro de cinco anos.

Tecnologia analítica 
“Nesse novo cenário digital, é imprescindível que as empresas invistam cada vez mais em soluções baseadas em tecnologia analítica e inteligência artificial, a fim de transformar qualquer interação com o cliente em informação relevante, para importantes tomadas de decisão, sempre em busca da melhora da eficiência e satisfação dos clientes”, afirmaRegis Noronha, VP de estratégia e marketing da Atento no Brasil. “As empresas estão no caminho certo. Essas soluções são poderosas ferramentas para mapear a jornada de compra, entender os motivos do carrinho abandonado e, consequentemente, fazer a conversão da venda”, complementa o executivo.

Principais canais 
Quando perguntado às empresas qual o canal mais utilizado pelos consumidores para entrar em contato, seja para suporte, trocas ou dúvidas em geral, o e-mail é o primeiro na lista de preferência citado por 76% da amostra. As mídias sociais, que ganham cada vez mais espaço no relacionamento entre consumidores e empresas, aparecem como o canal mais utilizado por 40%, seguidas de Chat (39%), Messenger (21%), aplicativos (19%) e presencial (18%). Também aparecem na lista o SMS e o chatbot, com 9% e 3% respectivamente. Entretanto, vale destacar que o telefone ainda aparece como o segundo canal preferido de acordo com 72% dos entrevistados. A pesquisa também revelou que 46% das empresas já contam com uma estratégia de atendimento multicanal, integrando o ponto de venda físico aos demais canais – iniciativa considerada fundamental para obter sucesso na era da transformação digital.
 
“É perceptível que a comunicação escrita lidera o contato telefônico. Do ponto de vista do relacionamento, o desafio é aumentar a satisfação do cliente, atendendo-o pelo canal que ele escolher. Por isso, as empresas precisam estar preparadas para ter uma oferta omnichannel de atendimento”, complementa Noronha. 

Comentários

Comentar com:
Publicidade

ENQUETE

Com soluções diferenciadas e muitas vezes a um custo mais acessível, as startups têm ajudado empresas de diferentes setores a resolver os problemas mais diversos. Diante disso, você já pensou em ter uma startup como parceira do seu supermercado?

GPS - Guia prático de sortimento

Aqui você pode navegar por todas as seções e categorias de produtos. Utilize um dos filtros abaixo para visualizar as informações:

BUSCAR
Publicidade